Nossas redes sociais

Esportes

Vôlei de Praia: Duda e Ana Patrícia decidem à noite título do Mundial

Postado

em

As brasileiras Duda e Ana Patrícia não deram chances à dupla australiana Mariafe e Clancy, no fim da noite deste sábado (14) e agora vão disputar o título do Mundial de vôlei de praia neste domingo (15), em Tlaxcala (México). A parceria entre as duas – atual campeã do mundo – fez 2 a 0 (21/17 e 21/14) e agora encara as americanas Hughes e Cheng na decisão, marcada para começar às 19h (horário de Brasília). De quebra, uma vitória na final garante ao Brasil uma vaga nos Jogos Olímpicos de Paris.

A campanha de Duda e Ana Patrícia no México, até agora, tem sido perfeita. Em seis partidas, a dupla não perdeu um set sequer. Caso repita o desempenho na final, se tornará apenas a segunda parceria na história a ser campeã sem sair derrotada em nenhuma parcial. Além disso, também podem entrar para a história como a terceira dupla a vencer dois Mundiais de forma consecutiva. Duda e Ana Patrícia foram campeãs em Roma, em 2022. Os Mundiais costumam ser disputados de dois em dois anos, mas a pandemia acarretou no adiamento da edição de 2021 – basta ver que a próxima edição, em Adelaide (Austrália) será em 2025.

A final no México será um verdadeiro tira-teima entre Brasil e Estados Unidos. Esta é a 14ª edição do torneio e a sétima vez em que uma decisão se dará entre duplas dos dois países. Até agora, são três vitórias para cada. No confronto especificamente entre as duplas que estarão nas areias neste domingo, também há empate: em quatro duelos entre Duda/Ana Patrícia e Hughes/Cheng até agora, dois triunfos para cada parceria.

O confronto decisivo tem peso dobrado porque vale vaga nos Jogos de Paris, no ano que vem. A dupla campeã em cada um dos gêneros garante uma classificação para o seu país em 2024. A partir daí, a federação local decide quem será a dupla que de fato representará o país nos Jogos. No vôlei de praia, 24 duplas disputam a Olimpíada em cada naipe. Cada país tem direito a ser representado por no máximo duas duplas. Por exemplo, se Duda e Ana Patrícia conquistarem uma vaga para o Brasil vencendo o Mundial de 2023, o país só vai ter direito a mais uma vaga entre as mulheres. Esta vaga pode ser alcançada de duas formas. A mais simples é estar entre as 17 parcerias mais bem posicionadas em um ranking olímpico que considera resultados entre janeiro de 2023 e junho de 2024. A outra é vencer um dos cinco torneios Pré-Olímpicos que definirão as vagas restantes.

Entre os homens, a final do Mundial de Tlaxcala será disputada entre os tchecos Perusic/Schweiner e os suecos Ahman/Hellvig.

Fonte: Agência Brasil

Em alta